BRUNO PAIS JOÃO SILVA
2012_jogos_b_pais.jpg 2012_jogos_j_silva.jpg
Data de nasc.: 1981-06-10

Presença em JO: Pequim 2008 (Individual Masculino – 17º lugar)

Data de nasc.: 1989-05-15

Presença em JO: Estretante

PALMARÉS

Campeonato da Europa
2010 – Athlone: 6º lugar
2009 – Holten: 7º lugar
2006 – Autun: 6º lugar
Taça do Mundo
2011 – Huatulco: 3º lugar
2006 – Aqaba: 3º lugar
2005 – Corner Brook: 3º lugar
Taça da Europa
2009 – Quarteira: 3º lugar
2006 – Estoril: 2º lugar
2003 – Sófia: 3º lugar
2002 – Praia da Vitória: 3º lugar
Campeonato da Europa de Elites (Equipas)
2006: 2º lugar
Taça da Ásia
2005 – Makuhari: 2º lugar
2003 – Subic Bay: 3º lugar
Campeonato da Europa de Sub-23
2004: 1º lugar
Hexa Campeão Nacional de Triatlo

PALMARÉS

Etapas Campeonato do Mundo
2011 – Yokohama: 1º lugar
Campeonato do Mundo
2010: 5º lugar
Campeonato da Europa
2012 – Eilat: 25º lugar
2010 – Athlone: 4º lugar
2009 – Holten: 30º lugar
Campeonato da Europa de Elites – Equipas
2006: 2º lugar
Taça do Mundo
2010 – Monterrey: 1º lugar
Campeonato da Europa de Sub23
2011/2010/2008: 1º lugar
Campeonato Mundial Júnior
2006: 3º lugar
Campeonato Europeu Júnior
2008: 2º lugar
2007: 3º lugar
2007: 1º lugar (Duatlo)
2006: 2º lugar (Duatlo)

 

As provas

Há muito que as provas Olímpicas de Triatlo estão expectativa. No sector masculino, aquele onde Portugal estará representado, não há como contornar o favoritismo dos irmãos Brownlee. A dupla de Leeds tem vindo a dominar o panorama mundial pelo que em Londres a grande questão é saber se Alistair e Jonathan Brownlee serão capazes de lidar com o peso das ambições de um país como a Grã-Bretanha. De entre os restantes (53) atletas não há quem não se sinta confortável com o favoritismo daquela dupla. Com a atenção virada para os irmãos Brownlee todos os participantes procuram uma brecha para consumar a “maldição dos favoritos”: desde a modalidade fez a sua estreia em Jogos Olímpicos os vencedores foram quase sempre inesperados. A única excepção a esta regra terá o sido o pódio feminino de Pequim, em que Emma Snowsill, Vanessa Fernandes e Emma Moffatt fizeram jus ao favoritismo.

Ainda que não seja candidato a qualquer lugar de relevo, o eslovaco Richard Varga poderá ter um papel muito importante na prova masculina. Se a natação vier a ser disputada sem uso de fatos isotérmicos o ritmo que “o melhor nadador da modalidade” imponha nos 1500 metros de natação irá certamente provocar cortes. Caso estas diferenças sejam um realidade e na frente fiquem, como se espera, os irmãos Brownlee, Javier Gomez (Espanha) e o trio de russos (Vasiliev, Bryukhankov e Polianksy) vai-se assisitir a uma intensa luta durante o segmento de ciclismo. Na frente, o objectivo será deixar para trás alguns dos melhores e, mais atrás, anular a vantagem dos melhores nadadores.

Num cenário ou noutro vai ser sempre necessário uma enorme capacidade na corrida final para se disputar uma medalha. Nos diferentes eventos de teste que foram disputados em Hyde Park os tempos do vencedor foram sempre inferiores aos 30 minutos:

 

  • Alistair Brownlee, 2009: 28’43”
  • Javier Gomez, 2010: 29’31”
  • Alistair Brownlee, 2011: 29’50”
A dupla de portugueses possui características bem distintas. Bruno Pais é dos mais experientes do pelotão e dos melhores ciclistas mundiais. Na grande maioria das vezes que foi chamado a uma importante tarefa, como será a do próximo dia 7, Bruno Pais cumpre e assume-se como um atleta de topo mundial.
Por seu turno, João Silva é um dos valores emergentes da modalidade. Com uma natação de grande nível e uma corrida igualmente poderosa, o atleta da Benedita vai estar entre os atletas mais temidas.

 

Startlist Feminina (4 de Agosto de 2012)

Startlist Masculina (7 de Agosto de 2012) 

O percurso

 

londoncoursemap.png

 

A modalidade e o processo de qualificação